5 erros comuns na hora de vender
Atendimento via chat

5 erros comuns na hora de vender

Reading time: 6 mins

Você não lê errado quando está circulando pela seção de negócios de uma livraria e encontra na prateleira livros que garantem, com ponto de exclamação e tudo, que vender é uma arte. Duvida? Melhor não, afinal é preciso ter o dom para conseguir efetivar uma venda para um cliente que está cada vez mais seletivo e cuidadoso com o que faz com o dinheiro.

Malabarismos à parte, não dá para desperdiçar a oportunidade de uma venda. Nesta hora, não há espaço para erros e isso vale para o vendedor na ponta do processo, mas também para  o dono e o gerente da empresa. Existem pelo menos cinco erros comuns na hora de vender que devem ser evitados a todo custo. Melhor prevenir que remediar, não é mesmo? Então continue lendo nosso post e prepare-se para aumentar as suas vendas!

1. Vendedor desinformado

Se levar a sério a história de que o vendedor deixou de ser o balconista para ser o “consultor de vendas”, um erro que jamais poderá ser cometido é o erro da falta de informação. O vendedor tem que ter na ponta da língua tudo sobre aquilo que está oferecendo ao cliente. Tem que ser bem informado e também ter humildade para admitir que não sabe, que desconhece e que precisa perguntar para o gerente. É péssimo para a imagem da empresa quando o vendedor dá uma informação errada (tanto para o que está sendo vendido quanto sobre as condições de pagamento e entrega). O mesmo, quando não tem certeza da informação e o profissional chuta, acha e deixa o cliente na corda bamba, sem qualquer segurança para efetuar a compra.

2. Subestimar o cliente

Da mesma forma que o colaborador precisa estar sempre muito bem informado, ele precisa também ter uma noção que o perfil do cliente mudou muito no decorrer dos anos. A internet fez o cliente ficar também muito bem informado sobre o que deseja. Portanto, subestimar o cliente é um erro que precisa ser evitado. Para isso, não há segredo. Basta ouvir com atenção o que o cliente está procurando. Assim,  será possível identificar o nível de informação que ele possui, bem como quais informações adicionais o vendedor pode oferecer e caminhar no sentido do fechamento do negócio.

3. Não ser proativo

Conhece o ditado “relógio que atrasa não adianta”? Com vendedor é parecido. Aquele que fica só esperando pelo cliente não tem futuro garantido dentro de qualquer negócio. É excelente quando os clientes ligam, escrevem, visitam o estabelecimento. Mas não é sempre que chove assim fácil na horta! O jeito é partir para o ataque, ser 100% proativo – tudo com muita classe, sem parecer invasivo. Não precisa pular em cima de todo mundo que passa na frente da loja, no caso das empresas varejistas. Mas, é bom ter sempre uma carta na manga para trazer o cliente para novas compras. Entrar em contato, conversar, apresentar novidades, novos produtos, novos serviços ou novas vantagens são ações que cumprem também o papel de fidelizar o cliente dando a ele um tratamento VIP e diferenciado.

4. Falta de acompanhamento de desempenho

Liderança não se ganha, se conquista. Dentro de uma equipe de vendas, o gerente precisa assumir de fato este papel de líder muito pela maneira como se relacionado e acompanha o trabalho da sua equipe. Ele não é só um controlador de notas fiscais, um autorizador de venda ou quem abre e fecha o estabelecimento! Cada vez mais ele tem um papel de mentor da equipe, é o técnico que joga junto. Por mais que seja difícil devido as suas obrigações administrativas, o gerente precisa estar próximo do seu time de vendedores a maior parte do tempo possível. É assim que ele conseguira medir o desempenho da equipe, corrigir determinadas falhas e alcançar um equilíbrio que fará a diferença nos resultados da empresa. O gerente deve saber quem vende mais, mas principalmente o porquê e como seu vendedor “campeão” atinge tal desempenho. E a partir disso, buscar ajudar aquele que já demonstrou potencial, mas vem obtendo vendas abaixo do esperado.

Banner - Sem limite para emissão de notas? Teste grátis o Sage One

5. Falta de flexibilidade para negociar

Como mencionado na abertura deste post, os tempos são outros e é essencial não deixar passar nenhuma chance de fechar uma venda. Mas, às vezes, mesmo que o vendedor seja TOP, que o gerente acompanhe e oriente bem a equipe, falta o dono de o negócio fazer sua parte. E, geralmente, o erro do empresário está na negociação com o cliente. É importante que elas existam até para que a cobrança sobre os resultados seja facilitada, clara e objetiva. E é claro que precisa haver também uma flexibilidade de negociação que ajude o vendedor justamente naquele momento decisivo da venda!

Falta um pouquinho para o cliente fechar e devido ao processo rígido a operação não é concretizada? A flexibilidade não tem a ver com não seguir regras como consulta a SPC, Seara, que garante a segurança da venda. Mas, sim, com a concessão de descontos um pouco mais generosos, brindes atraentes, produtos agregados, entrega adiantada ou grátis. Perder a venda, com certeza, é pior que abrir mão de algum destes itens!

Agora que você sabe os cuidados que deve ter no momento da venda, é hora de agilizar o processo e aumentar a lucratividade da sua empresa. Assine o Sage One e comece a emitir suas notas em poucos minutos, ganhando tempo para focar no que realmente importa!

vender mais

5 Atitudes para vender mais e melhor

Reading time: 5 mins

Garantir a sobrevivência de uma empresa em um mercado altamente competitivo não é uma tarefa simples. Independente de…

controle-de-contas-a-pagar-e-receber

Empreendedor brasileiro vê melhoria dos negócios no primeiro semestre de 2017

Reading time: 3 mins

Os micro e pequenos empresários brasileiros estão confiantes quanto à retomada da economia brasileira, segundo…

marketing para PME

Como fazer marketing para pequenas empresas

Reading time: 6 mins

Quanto a sua empresa tem investido em marketing? Se você precisou pensar para responder esta…